segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

ARQUITECTURA: BRUNELLESCHI

Filippo Brunelleschi
Arquiteto, escultor e ourives italiano, filho do notário e diplomata Ser Bunellescho Lippi, Filippo di Ser Brunelleschi Lippi, simplesmente Filippo B., nasceu em Florença no ano de 1377, aí vindo a morrer a 15 de abril de 1445. Registou-se a sua entrada como mestre na guilda dos ourives em 1398, e uma segunda vez em 1404. Em 1399 Brunelleschi trabalhava na loja de Matteo Ducci da Pistoia, tendo aí fabricado as imagens em prata do altar de São Tiago da catedral da mesma cidade de Pistoia. Deu-se em 1401 o famoso concurso para a manufatura da segunda porta de bronze do Batistério de Florença, ganho por Lorenzo Ghiberti. Subsequentemente, Brunelleschi deixou de dedicar a totalidade do seu tempo à escultura e dedicou-se ao trabalho de consultor nas obras da catedral de Florença e à investigação no âmbito da arquitetura (nomeadamente dos artistas da Antiguidade Clássica), que resultou na definição matemática da chamada perspetiva ou perspetiva de ponto único. Em 1417 a sua opinião foi requerida em relação à cúpula da catedral florentina, uma complexa obra de engenharia em que ele começou a trabalhar com Ghiberti mas que concluiu sozinho e lhe valeu a fama por ter introduzido elementos estruturais inéditos (como a cúpula dupla) e conseguido levar a bom termo uma obra arquitetónica tecnicamente avançada para o seu tempo. Em 1436 foi encarregue de planear o tempietto ou lanternim octogonal desta catedral. No ano de 1419 projetou o Ospedale degli Innocenti para a mesma cidade por encomenda do grémio da seda e de João de Médicis, onde fundiu as influências da estrutura românica e da proporção clássica. Foi dois anos mais tarde que iniciou o projeto de adaptação da igreja de San Lorenzo, também por encargo de João de Médicis, onde apurou a conceção estruturalmente pura dos espaços, utilizando uma vez mais o sentido de proporção e a planta basilical. Esta foi igualmente aplicada à igreja do Espírito Santo, que começou em 1436 mas apenas foi terminada após a sua morte, que ocorreu em 1446. Em 1429 iniciou a construção da capela da família Pazzi, na basílica de Santa Croce, e faleceu também antes que estivesse acabada esta obra de planta quadrada com remate em cúpula, uma das primeiras do género. O projeto de planta centralizada que Brunelleschi elaborou entre os anos de 1434 e 1437 para a igreja de Santa Maria degli Angeli não foi concluído, não deixando porém de ser considerado a sua obra maior, nomeadamente a sua cúpula. As influências basilares da sua conceção arquitetónica, como a planta basilical e a centrada, assim como o sentido de proporção classicizante e a aplicação dos princípios matemáticos da perspetiva a edifícios (sob a forma tridimensional e conjugando volumes perfeitos como o cubo), tornaram este arquiteto uma das personagens mais importantes da génese do Renascimento
Catedral de Florença
Construída entre 1296 e 1461, é também conhecida como Duomo. O plano inicial, de raiz gótica, da autoria de Arnolfo de Cambio, incluía já a grande cúpula. Apesar dos poucos vestígios góticos, conserva-se a decoração das paredes com mármores incrustados, as fachadas setentrionais e o campanário. O batistério, de desenho românico, é um prisma octogonal com cúpula em pirâmide. O seu revestimento, com placas de mármore, revela uma inspiração clássica. O objetivo da sua construção era ultrapassar, em magnificência, o batistério de Pisa. São vários os artistas de nomeada que participaram nesta grandiosa obra. É o caso de Giotto, nomeado diretor das obras da catedral em 1334, ou de Ghiberti, que ganhou o concurso para as portas de bronze do batistério, com um baixo relevo de inspiração gótica. Também Donatello trabalhou na escultura da catedral, nomeadamente no campanário. Mas o ex-líbris desta obra é a cúpula (1420-1436), da autoria de Brunelleschi , que também riscou a lanterna, só concluída na segunda metade do século XV. A cúpula octogonal foi erguida sobre uma rede de nervuras recortadas em oito círculos concêntricos. Esta técnica foi concebida por Brunelleschi para poder elevar a estrutura sem as tradicionais tábuas de madeira, cuja utilização era aqui impossível dado o diâmetro do tambor. A técnica de construção consistiu na utilização de pedra e tijolo, dispostos em espinha de peixe, convergindo para um centro único, obtendo-se uma curvatura em "quinta parte". Deste modo o autor conciliou a técnica gótica de nervuras e as estruturas da arquitetura romana. Juntamente com a Basílica de S. Lourenço e os palácios Pitti, Médici-Riccardi e Uffizi, faz parte do centro histórico de Florença, local classificado Património Mundial pela UNESCO em 1982.

video

Sem comentários:

Enviar um comentário